Taquigrafo

O papel da Análise de Requisitos e a Taquigrafia/Digitação

O termo Análise, está associado à investigação, descoberta, estudo. Em se tratando de Análise de Sistemas ou Negócio/Requisitos para a construção de sistemas, temos de nos lembrar muito bem destas relações da palavra Análise, e buscar constantemente nos aproximar delas.

Profissionais de Análise de Requisitos que vão até o cliente preparados apenas para ouvir e anotar todas as necessidades e especificações que o cliente informar, para depois simplesmente transcrevê-las dentro de modelos de documentos, estão se distanciando do termo “Análise”.

De fato, não é necessário um Analista pra transformar anotações em documentos. Na reunião de levantamento, seria mais produtivo substituí-lo por um taquigráfico; e na geração do modelo de documento um digitador pouparia muitas horas do projeto. Correto?

Não mesmo! Quem garante que as informações transmitidas pelo cliente estão coerentes, do ponto de vista do negócio ou da tecnologia? É profissional deixar o processo de desenvolvimento correr desta forma, transferindo um enorme problema de escopo para a fase de implementação com regras conflitantes, alterações constantes no escopo e estrutura do projeto a cada validação do cliente/usuário? Qualquer economia de tempo que se possa imaginar evitando debates na análise, pode ser perdido corrigindo o software em um momento posterior.

Tudo isso poderia ser evitado (ou mitigado) por um Analista, desde que ele efetivamente pratique esse processo de investigação, descoberta, estudo… lembra da definição de análise? Investigar se está fazendo sentido para o negócio; estudar o negócio, legislações envolvidas; pesquisar outros sistemas ou consultar outros analistas com mais experiência na área de conhecimento; questionar e validar o negócio com o cliente.

Agindo assim, realmente podemos dizer que temos (somos) um Analista no projeto, e conseguimos gerar benefícios e evitar dores de cabeças nas etapas seguintes até a entrega da solução.

Ou será melhor agilizarmos logo um curso de taquigrafia? 😉

Related Posts:

Read More

Levantamento de Requisitos: Entendendo o cliente

Muitas vezes nos vemos de frente de um cliente que não sabe exatamente do que precisa, ou que não consegue transmitir esta informação de maneira clara e objetiva. O resultado é que gastamos horas e horas em reuniões de levantamento de requisitos sem conseguir extrair informações relevantes para o desenvolvimento do projeto.

É comum, principalmente na área de TI, colocarmos a culpa sempre nos clientes (ou usuários), mas, na verdade, existem diversas técnicas mais ou menos adequadas para ultrapassar esta barreira e captar estas informações em diferentes casos. Mesmo com clientes mais “indecisos”, ou em casos onde muitas pessoas sejam influenciadoras ou influenciadas pelo projeto.

Conheça um pouco sobre estas técnicas:

Entrevista

A entrevista deve ser feita, preferencialmente, com usuários mais comunicativos e com bom conhecimento do processo. Evite entrevistas com longas horas de duração para não torná-la cansativa, desmotivando o entrevistado ou causando uma queda de produtividade ou organização das ideias. Sempre planeje sua entrevista com antecedência e anote simplesmente tudo.

Brainstorming

Muito útil quando existem diversos interessados no projeto com pontos de vista diferentes. É dividido em duas etapas. Na primeira, anota-se todas as idéias que surgirem, sem que sejam questionadas. Neste momento o mais importante é a participação e a quantidade. Na segunda etapa, debate-se com o grupo para refinamento das idéias apresentadas. Deixe sempre as regras bem claras, e defina uma pessoa (facilitador) para “comandar” a reunião, para garantir que as regras sejam respeitadas.

No Brainstorming, você não precisa de usuários comunicativos, utilizando anotações anônimas para a divulgação das idéias, você atrai até os mais tímidos para a participação da tarefa. Observe as pessoas, pois este processo te auxilia a identificar as pessoas mais participativas para agendamento de entrevistas.

Role playing

Esta técnica consiste em observar o usuário executando determinada tarefa, no dia-a-dia do seu trabalho, ou, até mesmo, você fazendo o trabalho deste usuário, para identificar suas dificuldades e necessidades, sentindo na pele como é a execução do processo. Muito útil quando o usuário não consegue identificar ou transmitir as informações necessárias para a identificação dos requisitos.

Existem outras técnicas de levantamento para diferentes casos. O importante é conhece-las e saber seus pontos fortes e fracos, pra aplicá-las adequadamente.

Related Posts:

Read More